Capítulo 31 | Parte 2 - Web: e se fosse o contrário?

Pedro POV - 

depois de tantas horas dirigindo com a minha mulher grávida do meu lado, irritada, tentando me dar instruções de como levar o carro, eu estava exausto. Alice estava com a chata mania de me avisar toda vez que via uma lombada, como se eu fosse passar a 100 kilometros por hora por cima dela e a fazer bater a cabeça no teto do carro.

Quando chegamos na clinica onde seu Franco estava internado, deixei Alice ir logo ver o pai e fui tomar um suco. Estava com medo e suando frio sobre o que Franco iria dizer a alice. Será que ele a chamaria de vagabunda? Pensando nisso, pedi a ela que esperasse eu chegar para contar.

Fui em direção aos dois que conversavam animadamente. Franco parecia bem melhor, e respondendo ao tratamento. até o vi dar alguns sorrisos. fui andando e cheguei perto de Alice, esperando ser apresentado.

Alice: Pai, esse é o Pedro, meu namorado.

Franco: Mas filha, você já trocou de namorado? Seu namorado não era aquele tal de Tomás?

Alice me olhou como se pedisse desculpas. Passei a mão nos seus cabelos a incentivado continuar a contar em vez de pedir desculpas por essa besteira.

Alice: Pai, já faz bastante tempo que eu terminei com Tomás, e eu amo o Pedro.

Franco: Alice, você é muito jovem pra dizer que ama alguém.

Alice deixou uma lágrima cair quando disse:

Alice: Assim como a mamãe era quando morreu?

Franco: Não fala dela, por favor filha. Não quero brigar com você. Confesso que quando você me colocou aqui, eu achei que você estivesse me castigando por algo que eu tivesse feito para ti, mas agora percebo que tudo que você queria era o meu bem, e é o que eu sempre quis pra você também, embora demonstrasse de um jeito meio torto… Se você está feliz com o Pedro, então eu abençoo vocês dois.

Alice começou a chorar de verdade. Eu confesso que até eu fiquei emocionado, mas para não agir que nem um marica não chorei. Franco e alice se abraçaram, esperei os dois se recomporem para me pronunciar.

Pedro: Seu Franco, eu sei que o senhor ainda não me conhece, mas eu quero que o senhor saiba que eu amo sua filha, e vou fazer o que tiver de maior ao meu alcance para fazê-la feliz. e a gente veio aqui para te dar uma noticia. Fala meu amor.

Alice me olhou sorrindo.

Alice: Pai, eu e o Pedro, a gente vai ter um filho.

Franco olhou paralisado. Por um momento breve, mas um momento breve, mas achei que ele iria se levantar e bater em Alice. Mas depois de alguns segundos percebi que lágrimas saiam de seus olhos.

Franco: Eu… Eu… eu vou ser vovô?

Alice: Vai sim!

sorri e abracei Alice. Franco se levantou e deu um abraço demorado na filha, depois um abraço em mim.

Franco: Eu espero que você cuide bem da minha menina e do meu neto, seu moleque, se não o bixo pega.

Disse ele brincando comigo.

Eu e Alice ficamos mais algum tempo conversando com meu sogro, até que decidimos ir embora se não ficaria muito tarde para dirigir na estrada. Alice deu um abraço no pai, e disse que assim que ele se recuperasse totalmente iria tirá-lo da clínica. franco sorriu e nos desejou uma boa viagem, mas algo no meu peito doia e eu parecia que não queria sair naquela hora com o carro.

Texto postado em 9/04/2012 às 9:39pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 31 | Já não importa mais… - web E se fosse o contrário?

Alice POV -

Acordei no outro dia de manhã feliz da vida. Pedro e eu teríamos um filho, e ele seria lindo como o pai dele. Mas agora eu precisava pensar no meu pai, em como ele estava lá na clínica. Achei que deveria visitá-lo. Acordei Pedro.

Alice: Amor, acorda?

Pedro: Que horas são amor…?

Alice: 8 e meia Pedro.

Pedro: Ah, tá muito cedo, deixa eu dormir Alice…

Alice: Amor, não, acorda, eu quero que você vá comigo visitar meu pai na clínica.

Pedro: Mas eu to com sono…

Alice: É que a visitação lá fecha às 2h, e a gente vai levar no minimo umas 3 horas pra chegar até lá… por favor, vai?

Pedro: Okay, agora que você já me acordou né…

Alice: Por isso que eu te amo.

Pedro foi se arrumar, e eu fui tomar meu banho. Ao tomar banho alisei minha barriga fazendo carinho no meu filho, e imaginando como seria sua carinha. Será que seria um menininho, moreno e lindo, como o pai? Ou seria uma menina, delicada e fofinha como a mãe? É eu tinha essa curiosidade a ser sanada. 

Depois do banho, encontrei Pedro assistindo TV, ele a desligou e nós descemos para tomar Café da manhã antes da viagem. Dona Beth nos deu muitos conselhos sobre como viajar e por que estradas ir.

Pedro e eu terminamos o café e fomos para o carro, para encontrar o osso duro de roer do meu pai. Vamos ver o que ele ia achar do neto.

Texto postado em 13/03/2012 às 7:15pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 30 | Parte final - você não vê que eu te amo? - WEB : E se fosse o contrário?

Pedro POV - 

Eram mais ou menos 23h, fui buscar minha branquinha no curso. Tinha que contar a novidade pra minha mãe, sobre meu filhão, ou filhona, que estava por vir. Cheguei na porta e ela me esperava, linda, como sempre estava.

Alice: Oi amor! 

Pedro: Entra linda!

abri a porta do carro pra ela. Ela entrou sorrindo, e tirou uma mecha do cabelo do rosto, colocando atrás da orelha, como eu adorava quando ela fazia. 

Entrei pela minha porta, e dei partida no carro.

Pedro: Como foi a aula amor?

Alice: aah, tá sendo muito legal. Como eu esperava que seria. E o seu dia, como foi?

Pedro: Como todos os dias. Pronta pra enfrentar a dona Beth?

Alice: Nunca estou né… mas vamos lá, temos que contar.

Pedro: Assim que eu gosto.

Chegamos em casa, e fomo direto pra cozinha. meu irmão e minha mãe estavam nos esperando pra jantar. Cumprimentamos eles, e sentamos em nossos lugares. A janta estava maravilhosa, e eu rezava para que ela demorasse bastante pra terminar, pois embora não tenha admitido isso para Alice, eu também estava com medo da reação de minha mãe. 

Por mais que eu tenha rezado, o jantar logo acabou. Então fomos para a sala, dar a grande notícia.

Pedro: Mãe, a gente tem uma coisa pra contar pra senhora.

Beth: É tão grave assim pra você falar nesse tom?

Pedro: É um pouquinho sim…

Beth: Então fala logo, não fica enrolando!

Pedro: AALICETAGRAVIDA

Beth: Que?

Alice: Pedro?!

Pedro: Qual foi?

Alice: Quer fazer o favor de falar direito com a sua mãe?

Pedro: Tá… É que mãe, aconteceu umas paradas ai e… A Alice tá gravida.

Beth: HAHAAHAHAHAHAH

Pedro: iiiih, enlouqueceu! a noticia foi forte demais pra ela!

Beth: Não, é que você enrolou tanto pra falar isso Pedro?

Pedro: Ué, você não acha um assunto importante?

Beth: Não, não em leve a mal, não é que não seja importante, mas não precisa desse nervosismo todo pra falar. Esse neném será bem vindo, e a moça também.

Pedro: Por isso que eu te amo mãezinha!

Pulei nela. Alice riu.

Conversamos mais um pouco e Alice decidiu dormir aqui em casa. Amanhã seria um longo dia.

Texto postado em 27/02/2012 às 5:34pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 30 | Parte 3 - você não vê que eu te amo? - WEB : E se fosse o contrário?

Alice POV - 

Alice: Deu positivo Pedro…

Eu disse, com lágrimas escorrendo pelos olhos. e agora? O que seria da minha vida? Da minha carreira? Eu e Pedro não eramos nem casados! O que iriam pensar de mim?

Pedro: Calma linda… Um filho não é o fim do mundo! 

Alice: como não Pedro? Eu nem se quer tenho um emprego! Como vou cuidar dessa criança?

Pedro: Você se esqueceu que eu sou Rico Alice?

Alice: E vocÊ se esqueceu que eu não gosto de depender de ninguém?

Pedro: Mas agora, não é mais questão de depender de ninguém Alice. Você agora tem alguém que depende de você, no caso, o MEU filho! Eu nunca iria deixar você sozinha com meu moleque?

Alice: O que você quer dizer com isso Pedro?

Pedro: Alice, você quer casar comigo?

Alice: Pedro, isso tá errado! Você tá me pedindo em casamento porque eu estou grávida!

Pedro: Não Alice! é claro que se você não estivesse grávida, a gente ia demorar mais um pouco pra casar, mas eu com certeza iria fazer esse pedido, mais cedo ou mais tarde, porque eu AMO você!

Dei um grande sorriso e pulei em cima dele, dando um beijo e respondendo SIM à pergunta dele. Pedro sabia como ninguém como me fazer feliz, e eu não iria pensar duas vezes em aceitar um pedido de casamento de alguém que em ama e me respeita, ainda mais esperando um filho dessa pessoa. Eu não havia superado totalmente o Tomás e o rombo que ele deixou no meu coração, mas o pedro era um Band-Aid excelente!

Alice: Sabe o que eu acho? Acho que essa gravidez não veio em uma hora tão ruim assim. 

Pedro: O que você quer dizer com isso?

Alice: Meu pai… Pode ser que ele melhore com essa noticia.

Pedro: Você acha?

Alice: Acho…

Pedro: Então vamos marcar uma visita pra ele na clínica, né?

Alice: Vamos… 

Terminamos de arrumar a casa e fomos, eu pra minha faculdade e ele pra casa dele. Mais tarde iriamos contar pra minha sogra a novidade.

Texto postado em 17/02/2012 às 7:31pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 30 | Parte 2 - Web: e se fosse o contrário?

Alice POV

Eu e Pedro chegamos em casa e levamos pro meu quarto nossas segundas intenções. No meio da escada, nossa roupa já estava quase toda no chão, e Pedro em carregava em seu colo. Eu mordia sua orelha, e ele gemia alto. com a casa vazia, isso ainda era possível. Com minhas unhas eu arranhava sua nuca, do jeito que eu sabia que ele gostava, e ele sorria pra mim. Aos poucos, estávamos no quarto, e Pedro me jogou na cama. Subiu em cima de mim, faminto de sentir meu gosto. Logo encaixou suas pernas no meio das minhas. Me beijava ferozmente e eu por incrível que pareça, gostava. Dei um beijo em seu ouvido, e ele riu, puxando meu lábio de encontro ao dele. Acariciavas minhas cozas deixando pequenos vergões vermelhos nelas. então ele foi descendo seu beijo, passando pelo meu pescoço, e entre os meus seios, os quais ele pegou com suas mãos grandes e firmes, fazendo uma massagem gostosa enquanto beijava. depois junto com os beijos, desceu sua mão para minha cintura. E segurando-a delicadamente, deu um beijo na entrada da minha intimidade. Eu dizia cisas desconexas enquanto ele fazia aquilo, pois minha mente não conseguia suportar tamanho prazer. Meus olhos giravam e minhas mão puxavam os cabelos de Pedro, não muito frouxamente.

Então, de repente, eu já não podia mais continuar. Uma dior forte em minah barriga, e uma ansia de vômito imensa me pegaram de surpresa, e eu nem consegui dar satisfação para Pedro. Apenas corri para o banheiro, despejando meu almoço inteiro na privada. Pedro correu atrás de mim todo preocupado.

Pedro: O que foi Linda?

Alice: Não sei… Apenas não consegui segurar…

Pedro: Mas não é a primeira vez que isso aco… Alice, tenho que sair! Já volto linda, fica bem, deita na cama e fica quietinha tá?

Alice: Mas aonde você…

Não dava mais tempo. Pedro tinha saido da casa. Quando deitei na cama, pude ouvir o som da porta da rua se fechando. Aonde ele teria ido? Acabei adormecendo.

Acordei algum tempo (que eu não sabia exatamente quanto) com PEdro do meu lado, fazendo carinho em meus cabelos. Sorri.

Alice: Aonde você foi Amor?

Pedro: Na farmácia.

Alice: Mas você sabe que eu não gosto de tomar remédios e…

Pedro: Não fui comprar um remédio Alice.

Alice: Foi comprar o que então?

Pedro: Isso.

E me entregou uma caixinha quadrada. Logo que eu abri, vi do que se tratava.

Alice: Um teste de gravidez Pedro? Jura?

Pedro: É linda, pensa comigo. Enjoos, não pode sentir cheiro de café ou de feijão, tontura e dores. O que mais pode ser?

Alice: Mas Pedro, não faz nem dois meses que a gente…

Pedro: Dois meses e meio.

Alice: Você tava contando? 

Pedro: É que eu…

Alice: KKKKKK achei que esse fosse o papel das mulheres.. Mas mesmo assim amor, a gente sempre se cuidou e…

Pedro: Na verdade eu ando pensando muito nisso não é de hoje. E eu lembrei da nossa primeira vez. Alice, a gente não usou preservativo.

Alice: É verdade… Mas Pedro, eu não quero ser mãe, não agora…

Pedro: Só faz o teste, linda…

Me levantei fui até o banheiro. Urinei e fiz o teste. Pedro apareceu atrás de mim.

Pedro: E ai Linda, o que deu?

Texto postado em 9/02/2012 às 5:59pm | 0 notes | (reblogue this!)
esposa-do-aguiar:
Weeb, web, web, web e humm... web...

Amor, to meio sem idéia pra web T.T eu todo dia tento escrever mas não sai nada que preste!


Mensagem postada em 8/02/2012 às 12:54pm | 0 notes

Capítulo 30 | Parte 1 - Web: e se fosse o contrário?

POV Autora - Dia Final - 13h

Pedro, alice, roberta, Diego, Carla e Tomás voltaram ao brasil. O grupo Pedro, Alice e Carla ficou com o prêmio de 20 mil reais por causa dos acessos do Tomás. Pedro e Carla doaram suas partes do prêmio para Alice, que comprou um pequeno carro com o Prêmio, além de Internar seu pai em uma clinica de reabilitação para a bebida. tudo estava bem.

Alice POV - 2 meses depois do término da viagem - 14h

Eu não estava me sentindo bem. E já fazia algum tempo. Estava sentindo alguns enjoos, acho que era por causa de alguma virose. Não me preocupei muito, logo passa. 

Fui ao encontro de Pedro. Nosso amor estava às mil maravilhas. Nos víamos quase todos os dias. Hoje eu tinha uma novidade pra contar a ele.

Cheguei em sua casa e ele já me esperava na porta. sorri e buzinei com meu Golzinho, ele logo me viu e veio ao meu encontro. entrou no carro e me deu um beijo.

Pedro: como você tá linda? já melhorou?

Alice: Não muito amor. Ainda tô com uns enjoos…

Pedro: Vai no médico linda. Já falei isso pra você…

Alice: E pelo visto esqueceu que eu tenho horror a consultórios.

Pedro: Você que sabe. Eu só quero seu bem amor.

Alice: Eu sei! Amor, tenho uma coisa pra te mostrar!

Entreguei o envelope tão sonhado a ele. Ele me olhou intrigado mas abriu. Ele olhou o conteúdo e sorriu.

Pedro: Parabens! você passou amor! Vai fazer sua tão sonhada faculdade de design gráfico! 

Alice: Sim. Mal vejo a hora. quem sabe um dia eu consigo trabalhar com a minha sogra?

Pedro: Você quer …? Eu posso…

Alice: Não ainda não amor. 

Pedro: tudo bem, agora eu quero namorar a minha linda!

Fomos pra minha casa, sem meu pai lá o caminho estava livre.

Texto postado em 10/01/2012 às 5:31pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 29 | Parte 2 - Tudo com você é tão perfeito… - WEB : E se fosse o contrário?

Autora POV - Dia 11 - 19h

Roberta e Diego estavam em clima de romance. Como se isso fosse possível, um casal tão diferente, dar certo. Mas com eles era mais do que possível, Roberta parecia ter finalmente se rendido aos encantos de Diego, deixando-se apaixonar pelo mauricinho, o que de fato era tudo que ele queria, desde a primeira vez que viu a loira. 

Ele havia a pedido em namoro alguns dias antes, inspirado no pedido de Pedro à Alice. Roberta aceitou o pedido, e então tem vivido em lua de mel. Desde que tiveram sua primeira vez, viviam repetindo a dose. Diego gostava de dizer à namorada que cada vez com ela era melhor do que a outra. Roberta nunca se acostumou a fazer sexo regularmente, mas parecia que com Diego, ela não podia se segurar.

Os únicos que não pareciam estar se divertindo muito eram Tomás e Carla. Tomás estava definitivamente arrependido de ter feito tudo o que fez com Alice, mas isso não trazia a chance te ter a namorada de volta. Carla também não estava feliz, gostava muito de Alice para se acostumar com o desprezo com que andara sendo tratada. Porém os dois tinham um ao outro, e isso já era um recomeço.

Pedro POV - dia 11 - 19h

Eu havia levado Alice para tomar um sorvete na praça principal de Londres, fazia uma noite de um calor mediano, nada comparado ao calor do brasil e do rio de janeiro ao qual estávamos acostumados, mas para os padrões de lá, estava bem quente. 

Depois do sorvete, eu a levei pra ver um rio que ficava abaixo da praça. tinha uma parte rachada na praça, dividida por uma ponte na qual ficavam vários artistas circenses mostrando seus trabalhos. Eu sabia que ela gostava de circo, então achei legal mostrar isso a ela.

Pedro: Vem, não falta muito amor…

Alice: Tomara que isso aqui valha mais a pena do que ir pra casa ein, senhor Costa, pois se não eu fico em greve com você viu?

Pedro: Eu duvido que a senhorita consiga, mas em todo caso… acho que vale muito a pena. ali, olhe.

Diversos palhaços disputavam a atenção do pessoal, e alguns malabaristas e contorcionistas davam seu show ao final da ponte. Alice me olhou com uma cara surpresa, e de quem estava adorando.

Alice: Pedro! Eu ADORO circo! Realmente, isso é melhor do que ficar com você lá no nosso quarto né?

Pedro: HEEEY!

Alice: Eu só tava brincando bobinho. Mas o fato é que temos passado muito tempo lá e esquecendo de aproveitar a viagem né?

Pedro: Eu sei… Esse foi o único motivo pelo qual eu concordei em vir né…

Alice: olha, aquele palhaço está me chamando!

Alice andou calmamente na direção do palhaço.

Palhaço: How goes the beautiful ladie? 

Pedro: She doesn’t speaks english… She is brazilian.

Palhaço: Okay.. So I’ll show my work for her, not talk.

Alice: O que ele falou Pedro?

Pedro: Eu disse que você não fala inglês, e ele disse que vai te mostrar o trabalho dele e não conversar.

O Palhaço sorriu para Alice, que ficou tímida. Então ele estendeu a mão para ela, e sua mão não tinha nada. Quando Alice a apertou, ele fechou a mão dela e deu duas batidinhas, pedindo pra ela abrir a mão. Na mão dela tinham duas bolinhas, uma ver e uma vermelha. então ele as pegou, deu um agito nas mãos e as bolinhas sumiram. Alice sorriu pro palhaço, e eu dei uma nota de 10 libras a ele, que ficou muito feliz. Parece que não davam aquele tanto de gorjeta aos palhaços.

Alice e eu ficamos olhando mais algumas coisas na praça, e depois voltamos pra casa, pra fazer o que fazíamos todos os dias em nosso quarto.

Texto postado em 13/12/2011 às 6:08pm | 0 notes | (reblogue this!)

Capítulo 29 | Parte 1 - Tudo com você é tão perfeito… - WEB : E se fosse o contrário?

Autora POV - Dia 4 - 9h

Pedro acordou no outro dia abraçado em Alice, e fazia pouco de frio em Londres. Se levantou devagar para não acordá-la, e a cobriu-a com um grosso edredom, pois sem o calor do seu corpo para aquecê-la, ela não dormiria por muito tempo. 

É fato que ele não pretendia que ela dormisse tanto assim mesmo, mas tinha que arrumar as coisas primeiro. Ele ainda tinha que arrumar o café, pegar a caixinha de veludo com o anel com um grande diamante em cima, e o buque de flores que tinha encomendado. Era muito a se fazer.

Saiu do comodo, e foi arrumar o café. Preparou ovos mexidos com bacon, pão com manteiga e presunto. Suco de laranja e água de côco a vontade, que ele tinha guardado.

Pegou também as flores que tinham sido entregues pontualmente às 9:30h, e o anel de diamante que guardou no bolso do Jeans surrado. Sorriu ao abrir a caixinha, e ver o anel, imaginando a cara que a menina faria ao vê-lo. Se divertiu imaginando uma cara de surpresa, outra alegre, e uma com vontade de chorar. A atitude de Alice era imprevisível, e então, pela primeira vez, Pedro pensou que aquilo poderia ser um engano. ele mal a conhecia. Como poderia fazer isso? Mas tirou aquilo rapidamente da cabeça, percebendo que Alice realmente era o amor de sua vida.

Arrumou o cabelo, como à muito tempo não fazia, e levou a bandeja de café da manhã na cama para Alice, junto com o buquê de 12 rosas vermelhas. Sorriu e se aproximou dela, dando um beijo em sua testa e dizendo:

Pedro: Bom dia, Flor mais linda de todos os jardins…

Alice: Bom dia!

E se espreguiçou, se assustando ao abrir os olhos e ver aquele café da manhã. Mas depois deu um grande sorriso, e um beijo no lábio de Pedro, que estremeceu ao menor toque da loira. Ela sorriu e disse:

Alice: Vejo que você programou tudo pra essa noite, não é mesmo?

Pedro: Pensei em cada mínimo detalhe… 

Alice: Percebi ~risos~ agora me passe esse pão com presunto, e esses ovos mexidos, pois eu estou morrendo de fome!

Pedro: Imaginei… Mas antes eu preciso pedir uma coisa pra você.

Alice: Hum… e o que você quer?

Ele então tirou a caixinha azul do bolso, e a abriu, se ajoelhando na frente de Alice e mostrando o anel cravejado de pedras. 

Pedro: Alice, você quer namorar comigo?

Alice abriu a boca, e ficou assim por um bom tempo. Pedro começou a suar. Alice abriu a boca e fechou várias vezes. Pedro perguntou:

Pedro: Você não gostou do anel…?

Alice: Não… Ele é lindo.. É só que… Me pegou de surpresa isso!

Pedro: Eu devia saber… Você não quer.. Eu sou idiota, eu…

Alice: Para Pedro. Você foi a coisa mais linda que me aconteceu.

Pedro: Então o que que foi?

Alice: Nada. Eu quero sim namorar com você. Na verdade eu não me lembro de ter querido nada tanto assim na minha vida. Mas eu não posso aceitar o anel Pedro. Você gastou muito dinheiro nele, eu não mereço…

Pedro: É claro que merece! Eu comprei ele porque eu amo você, e sei que pra alguns pode ser muito cedo pra falar isso, mas eu senti isso na primeira vez que eu beijei você, lá na piscina. Eu nunca havia sentido nada igual.

Alice: Eu também amo você Pedro. Foi uma coisa inédita o que aconteceu ontem, eu não sou muito experiente no assunto sexo, acho que você percebeu…

Pedro: Você foi maravilhosa!

Alice: Mas mesmo não sendo experiente, ontem eu senti coisas que eu gostaria de sentir por resto da minha vida. Mas o Anel eu não vou aceitar Pedro. Eu não vou me sentir bem. Deixa ele pra uma outra ocasião tá?

Pedro: Ué, já está me propondo casamento linda?

Alice: ~risos~ Hoje não Pedro, mas um dia quem sabe…

Então os dois ficaram se beijando por tantos minutos que se esqueceram do café da manhã. 

Texto postado em 13/12/2011 às 5:20pm | 0 notes | (reblogue this!)
alwayschocolover-deactivated201:
Eu percebi esse pequeno detalhe que eles esqueceram!! kkk quero mais web!!!!!!

ahshsahsahi ée, ferrou amigo, KKKKKKKKKKKKKKKKK hj n vai dar n amr T.T ja to de saiida! 


Mensagem postada em 8/12/2011 às 8:45pm | 0 notes
Página 1 de 6 1 2 3 4 5 6 »